Como a gamificação pode aperfeiçoar os resultados do seu time de vendas

Trabalhar com vendas não é fácil: bons vendedores trabalham com um nível de entrega muito alto, com foco, atenção e dedicação totais aos clientes e aos objetivos da empresa que promovem. Estes profissionais são capazes de identificar e compreender os desejos atuais e futuros de seu mercado consumidor e precisam trabalhar para se manter constantemente um passo à frente da concorrência, assegurando às suas companhias as receitas necessárias para o desenvolvimento contínuo de seus negócios.

Encontrar estes profissionais prontos no mercado pode ser difícil, mas a educação corporativa nos garante a chance de formar e desenvolver times de vendas totalmente alinhados aos objetivos estratégicos de sua empresa – para iniciar este processo primeiro precisamos considerar…

Os três principais desafios de um treinamento corporativo voltado para a área de vendas:        

Motivação: identificar os motivos e impulsos que levam seus colaboradores a agir como agem dentro de sua empresa e em relação a seus objetivos pessoais e profissionais é um fator importante no momento de estruturar e desenvolver seu treinamento corporativo e as atividades que nele serão realizadas;

Engajamento: o grau de envolvimento de seus profissionais é outro ponto relevante. O engajamento é em parte resultado da motivação pessoal de seus colaboradores, mas pode ser desenvolvido e aprimorado através de exercícios e interações que valorizem a experiência, o conhecimento e a evolução profissional, por exemplo;

Experiência prática: vender é trabalhar no dia a dia de seus clientes, é olho no olho – um treinamento de vendas precisa transformar seus objetivos estratégicos em experiências reais, conectando o aprendizado de seus profissionais à vivencia prática do cotidiano de negócios.

Os benefícios da Gamificação para o seu treinamento de vendas

Uma estratégia muito eficaz para conectar estes 03 pontos principais, a gamificação vem ganhando espaço por sua capacidade de transformar conceitos em experiências práticas e enriquecedoras de aprendizagem. Separamos a seguir 05 benefícios que a gamificação agrega ao seu treinamento e como ela impacta de forma positiva o desempenho de seu time de vendas. Confira!

Desenvolvimento de novas competências

Por meio da gamificação podemos trabalhar de forma personalizada e direta os principais conhecimentos e habilidades necessários para o desenvolvimento pessoal e profissional de seus profissionais, de forma alinhada aos objetivos estratégicos de sua empresa. Desafios e exercícios práticos que simulam situações reais e permitem que o aluno experimente a tomada de decisões contribuem para a aquisição de novas habilidades.

Nova postura profissional – motivação e engajamento

Os games permitem que seus profissionais participem ativamente do seu processo de aprendizado. Pontuações, insígnias e recompensas projetam uma percepção de conquista e evolução que valoriza o crescimento e motiva seus alunos a prosseguir com o aprendizado ao mesmo tempo em que estimula o desempenho no dia a dia corporativo.

Cultura colaborativa e fortalecimento dos relacionamentos

Talentos individuais são importantes, mas no fim do dia é a força e o trabalho conjunto de uma equipe que realmente faz diferença nos resultados operacionais. Através de conteúdos gamificados podemos simular missões e atividades específicas para desenvolver em seus profissionais pensamentos e atitudes colaborativas, que valorizem a troca de ideias e informações de negócio como um ponto chave para o sucesso individual e coletivo de seus profissionais enquanto fortalece o relacionamento interpessoal de seu time.

Engajamento na busca por resultados

A gamificação conecta teoria e prática de forma muito natural: os games são excelentes ferramentas para inserir seus colaboradores dentro de cenários realistas e complexos que traduzem de forma fiel o cotidiano corporativo e seus desafios, transformando atividades comuns em desafios atrativos que elevam os níveis de retenção e engajamento. Uma experiência prática de aprendizado colabora para que suas equipes se mantenham focadas e atentas a seus objetivos, o que fortalece a busca por resultados mais efetivos e duradouros para sua operação.

Competividade de forma saudável

Os games possuem uma dinâmica competitiva muito clara: cada jogo possui um objetivo específico e cabe a cada jogador se esforçar para conquistar o primeiro lugar, acumulando pontuações e prêmios ao longo do caminho. Esta dinâmica é uma excelente oportunidade de estimular a competitividade entre seus colaboradores de maneira sadia e amigável, com todos jogando através das mesmas ferramentas e condições de jogabilidade – o ambiente lúdico ajuda a estabelecer e compreender os limites de ação e o papel que a liderança deve desempenhar na condução das equipes, por exemplo.

A gamificação é uma excelente estratégia para envolver e engajar seu time de vendas tanto em relação ao seu desenvolvimento no treinamento corporativo, quanto em seu progresso cotidiano em direção aos objetivos de negócio da sua organização – esta é a chave para um maior engajamento, além de garantir resultados mais expressivos em suas vendas!

 

Equipe Clarity
www.clarity.com.br

Por que a gamificação é um caminho poderoso para a Educação Corporativa

Uma das razões pelas quais o ser humano adora jogar é a possibilidade de melhorar, de provar que é capaz de ir além e superar desafios – o sentimento de desenvolver novas habilidades nos traz sensações de realização e bem estar que podem ser extremamente benéficas e interessantes quando aplicadas no contexto de trabalho: a gamificação é um conceito que define o uso de elementos de jogos para incentivar a participação, o envolvimento e o desenvolvimento de seus colaboradores.

A gamificação também é uma solução muito útil para as organizações que buscam renovar o interesse de seus profissionais e reduzir a apatia com que encaram seus treinamentos – a combinação entre jogos e aprendizado atrai um nível de atenção e entusiasmo que outros métodos de aprendizagem dificilmente conseguem alcançar.

A gamificação estimula o envolvimento dos funcionários porque apela para os circuitos de recompensa do cérebro: o desejo natural de competição faz com que todos nós gostemos de incentivos.

 

A ciência por trás do e-Learning nos negócios

A ciência nos ensina que quando experimentamos um evento agradável a dopamina, neurotransmissor responsável pela memória e pelas sensações de prazer, é liberada em pequenas quantidades – isto quer dizer que quanto concluímos um projeto com êxito ou quando percebemos que aprendemos novas habilidades somos impactados por sensações de satisfação e prazer que ajudam a aumentar a motivação e a retenção do conhecimento.

Quando combinamos o ato de aprender com os princípios da gamificação, somamos ao aprendizado este efeito sinérgico promovido pelo circuito de recompensas do cérebro, impactando seus profissionais de forma positiva e profunda, o que garantirá níveis maiores de retenção e engajamento – não é de se admirar que sistemas ilimitados de recompensa em jogos de mídia social sejam um enorme sucesso comercial.

De forma simplificada, a gamificação estimula os desejos humanos mais básicos de realização e reconhecimento.

 

A gamificação é uma aliada dos negócios: algumas empresas aplicam no recrutamento de suas equipes para saber se os candidatos se encaixam corretamente em determinadas posições na empresa. Outras usam a diversão inerente aos jogos para fomentar o aprendizado de novas habilidades e novas posturas profissionais, por exemplo. A gamificação também pode ser estratégica para que funcionários cumpram suas metas e também pode ser usada para avaliar o ambiente externo. No marketing, pode contribuir para o engajamento e a lealdade do consumidor.

A gamificação facilita o aprendizado: no entanto, os resultados precisam ser embasados a partir de coleta de dados. É essencial medir taxas de produtividade, de alcance e acúmulo de conhecimento do desafio proposto. Isso significa garantir, por exemplo, que as classificações não se basearão nas percepções subjetivas de um gestor, mas sim em dados reais e precisos. Dados objetivos ajudam os gerentes a verem seus funcionários de forma imparcial e objetiva, eliminando suposições.

Para garantir o sucesso no uso da gamificação deve-se considerar o planejamento: gerenciar, monitorar a motivação do jogador e aferir resultados (métricas).

 

Como planejar a gamificação para obter os melhores resultados:

Gerenciar as expectativas: para estabelecer metas específicas, a dica é nortear-se pelos critérios SMART, um acrônimo em inglês para objetivos específicos, mensuráveis, alcançáveis, realistas e que existem dentro de um determinado limite de tempo. A meta (ou missão) deve ser compartilhada com toda a equipe para criar uma visão comum a todos e os levarem à adesão ao jogo.

Monitorar a motivação: após a implementação é preciso realizar pesquisas para estudar o impacto na interação, satisfação e motivação dos alunos/jogadores. No início os jogadores estão bastante envolvidos, mas com o passar do tempo o engajamento e a satisfação podem diminuir – para combater a mesmice é importante introduzir novidades: insígnias, pontuações e mudanças de nível ajudam a criar e promover mais envolvimento.

Mensurar os resultados: é imprescindível encontrar maneiras de obter os dados certos. Algumas métricas comuns são número de usuários realizando ações, número de vezes que os usuários retornam a uma mesma atividade, tempo, frequência, tempo de resposta, pontualidade, aumento de produtividade, reduções de custos, aumento de vendas, etc..

A gamificação é uma estratégia poderosa: através dos jogos podemos envolver profundamente equipes não apenas no processo de aprendizagem de novas competências, mas também na construção de um relacionamento mais profundo e conectado entre os seus membros e os objetivos estratégicos de sua empresa – a motivação pessoal e o engajamento de seus profissionais podem ser estimulados através das atividades propostas por seus jogos e certamente conduzirão seus colaboradores a uma nova compreensão sobre o potencial e o valor que os treinamentos agregam às suas carreiras!

Equipe Clarity

 

 

Seis Perguntas Chave sobre Gamificação para Karl Kapp

 

6_perguntas_gamificationDurante a última edição do evento DevLearn realizado em Las Vegas, o autor, professor e especialista em Gamificação Karl Kapp respondeu a algumas perguntas sobre as tendências de aplicação desta estratégia como uma prática inovadora no ambiente organizacional. A conversa tratou inclusive das razões pelas quais as empresas deveriam investir em Gamificação e sugestões sobre como o tema deveria ser tratado junto aos executivos.

Segue reprodução das perguntas e respostas:

  1. Quais são as mais recentes tendências na Gamificação?

A diversificação de metodologias distintas para a aplicação de soluções gamificadas – existem fornecedores que oferecem a aprendizagem com abordagem lúdica, alguns o vem fazendo com repetição e espaçamento de tempo, e alguns promovendo algum tipo de competição, com emblemas, pontos, etc. Cada estratégia adiciona valor à organização de uma forma diferente.

  1. Porque a área de RH/Treinamento deveria investir em Gamificação?

Trata-se realmente de uma ferramenta eficaz para moldar o comportamento das pessoas. Esse é o principal motivo pelo qual o tema deveria estar no radar da maioria dos gestores de recursos humanos.

  1. Como que um gestor de recursos humanos deveria vender a ideia de Gamificação para os executivos da organização?

O maior mito em relação à Gamificação é que ela trata de jogar, mas a realidade é que ela consiste em usar elementos de jogos para engajar pessoas. A melhor maneira de “vender” a Gamificação é falar sobre o alto grau de engajamento que ela pode gerar. Um segundo ponto a se destacar são todos os casos de sucesso já existentes. E finalmente, olhar para os significativos resultados em termos de segurança, retenção de colaboradores e diferenciação na abordagem junto aos clientes.

  1. Quais são as mais comuns armadilhas ao aplicar a Gamificação?

Certamente é não implantar a Gamificação corretamente. Frequentemente as pessoas possuem uma visão de que Gamificação consiste em usar pontos, emblemas e placares de líderes. Na prática, tais fatores externos de motivação duram pouco tempo. É necessário combinar e promover as motivações extrínsecas e intrínsecas dentro do mesmo conceito de engajamento.

  1. Existem pesquisas e teorias que suportam a Gamificação?

O assunto é relativamente novo, então ainda não existe muita pesquisa. Entretanto, as pesquisas já realizadas apontam que a Gamificação tem um impacto de longo prazo. É perceptível que mesmo até depois de três anos as pessoas continuam envolvidas ou conectadas com alguma iniciativa de Gamificação da qual tenham participado.

  1. O que você acha da questão “a Gamificação não trata somente de diversão?”

Penso que o termo Gamificação provoca mesmo algum tipo de confusão. A Gamificação não trata de diversão. Eu costumo dizer: se quisermos dar diversão às pessoas, vamos dar a elas um dia de folga. Se nós realmente queremos ter pessoas engajadas, vamos utilizar elementos que conhecidamente engajam as pessoas quando elas estão jogando, e incorporá-los às metodologias e desenhos de soluções que nós aplicamos para entregar conhecimento e desenvolver pessoas.

Fonte: Learning Solutions Magazine – Six Key Executive Gamification Questions for Karl Kapp

Equipe Clarity Solutions

Conheça as soluções da Clarity Solutions para a implementação da Gamificação.

Acesse: www.claritysolutions.com.br

 

A Gamificação a favor da formação de vendedores

 

Tradicionalmente o público de vendas demonstra um perfil com características que se transformam em desafios quando o tema é treinamento. Normalmente são profissionais com dinamismo e pouca paciência para permanecerem por horas em uma sala de treinamento. Para a empresa também existe a constante restrição de retirar o vendedor da sua atividade principal: um dia na sala de treinamento significa um dia sem vender, sem gerar receitas.

gamification_vendas

 

A adoção do e-Learning permitiu que as organizações pudessem treinar seus vendedores, mantendo-os por muito mais tempo nos seus locais de trabalho. Entretanto, fatos como a baixa adesão aos cursos on-line e questionamentos à qualidade do treinamento ofertado acabaram por enfraquecer a iniciativa em muitas empresas.

Uma pergunta fundamental que todos os gestores de treinamento devem fazer é: o que motiva um profissional a iniciar e concluir um curso on-line? Na essência a motivação para iniciar um curso (seja esse on-line ou presencial) deveria surgir naturalmente a partir da percepção de que a aprendizagem é uma oportunidade de crescimento individual, mas nem todos demonstram essa consciência ou comprometimento.

A Gamificação é uma estratégia que pode aumentar o engajamento de uma equipe de vendas, tornando a experiência de aprendizagem mais atrativa e motivadora. De fato, a adoção de uma estratégia mais lúdica para ensinar vem crescendo em todo o mundo, sobretudo quando o público-alvo é formado por pessoas com uma faixa etária mais jovem.

Na prática o que se busca é desenvolver um sentimento de querer fazer, muito mais do que um sentimento de ser obrigado a fazer. Ao trazer uma percepção de desafio ou competição para o aluno é possível fazer despertar uma motivação que contribui com o seu processo de aprendizagem.

Entretanto, a Gamificação não deve ser feita de qualquer maneira. Existem cuidados para que o aspecto lúdico não seja preponderante em relação à aprendizagem. O objetivo é garantir que uma pessoa aprenda e se divirta. É comum encontrar projetos em que a diversão é grande, mas a aprendizagem se transforma em um mero detalhe.

Uma estratégia de Gamificação para capacitar profissionais de vendas pode e deve se apoiar em situações e simulações que permitam aos participantes tomar decisões, reconhecer as consequências de erros e acertos e vivenciar uma experiência com a qual se identifiquem.

Tais situações e simulações podem ser permeadas por elementos que garantam uma abordagem lúdica, tais como competir contra o tempo, adquirir pontos, troféus, posicionar o aluno dentro de um ranking de experiência obtida, etc.

Para tornar toda a iniciativa ainda mais atrativa é comum que esta abordagem também inclua algum tipo de reconhecimento dos melhores alunos, o que pode ou não envolver premiações. Esse reconhecimento é um claro sinal da importância que a organização dá ao treinamento.

Para apoiar clientes interessados em implementar a Gamificação voltada à formação de vendedores a Clarity Solutions desenvolveu uma metodologia que envolve o desenho de conteúdos com abordagem lúdica e o uso de plataformas que permitam a gestão de placares de lideres (ranking). Para obter mais informações clique aqui e entre em contato com a nossa equipe de atendimento.

Equipe Clarity Solutions

Conheça as soluções da Clarity Solutions para a Gamificação aplicada ao treinamento.

Acesse: www.claritysolutions.com.br

 

Você já fez o treinamento de Compliance?

 

compliance

Uma das principais demandas de 2016 no Brasil foi o desenvolvimento de treinamentos e cursos sobre Compliance, fenômeno impulsionado pelo cenário político e empresarial que tomou conta dos noticiários. É certo que tais demandas continuarão a existir por mais algum tempo, até que as organizações consigam implementar de forma consistente suas politicas junto ao seu quadro de colaboradores, parceiros e fornecedores.

Empresas multinacionais já demonstram esta preocupação há muitos anos, não sendo esta uma iniciativa recente para a maioria delas aqui no Brasil. A novidade está sendo o movimento de empresas nacionais (de qualquer porte ou ramo de atividade) na busca desse tipo de solução.

Historicamente os cursos de compliance são chatos, pois abordam políticas, regras de conduta, e podem ser realmente extensos, exigindo um bom tempo de dedicação de seus participantes.

Entretanto, existem técnicas didático-educacionais que permitem que um curso dessa natureza seja mais atrativo quando desenhado e desenvolvido na modalidade e-Learning.

Quando tratamos de um público-alvo adulto, precisamos escolher uma estratégia de comunicação que seja adequada e consiga motivar os participantes durante o processo de aprendizagem. As empresas precisam se lembrar de que pode custar muito (mas muito!!!) mais caro não treinar seus colaboradores nas políticas de Compliance do que investir para treiná-los bem e prevenir problemas maiores.

É comum encontrar empresas que relutam em dedicar um orçamento adequado para promover um bom treinamento de Compliance, ou seja, um projeto que realmente funcione e não sirva somente para “cumprir tabela” ano após ano.

Os principais motivos para uma organização investir e promover treinamentos de Compliance são:

  • Cumprir requerimentos regulatórios relacionados ao seu ramo de atuação, tipos de produtos, serviços, etc.;
  • Antecipar possíveis futuras falhas de seus colaboradores, demonstrando que a organização fez a sua parte no sentido de atuar para preveni-las da melhor maneira possível;
  • Aumentar o conhecimento dentro da organização sobre temas específicos para reduzir o risco de fraudes ou crimes diversos como lavagem de dinheiro, fraude, corrupção, roubo de dados, assédio sexual, dentre outros.
  • Criar um ambiente organizacional mais receptivo, respeitoso e ético.

Uma abordagem muito eficaz para esse tipo de treinamento na versão on-line é a adoção de uma estratégia que combine a aprendizagem adaptativa, a contextualização por meio de situações e a aplicação de técnicas que promovam a interatividade. A adoção de elementos lúdicos também pode ser considerada, mas com reflexão e moderação, uma vez que estamos tratando de temas que exigem certo nível de seriedade e formalidade. Isso, entretanto, não impede que um conteúdo de aprendizagem específico receba uma “roupagem” gamificada.

A aprendizagem adaptativa prevê que um aluno participe dos módulos que tratam de conhecimentos que ele realmente não possua ou necessite reforçar. O fator chave neste modelo é identificar o nível de conhecimento que o aluno já possui, o que pode ser feito por meio de questionários e pré-testes organizados em blocos de conhecimento.

Esta abordagem faz com que cada aluno participe de um conjunto de atividades adequadas ao seu nível de conhecimento, cargo ou área, otimizando assim a sua dedicação de tempo e garantindo um direcionamento individual mais assertivo.

A contextualização por meio de situações garante maior identificação entre os temas e conceitos abordados e o público adulto. A mensagem torna-se mais forte quando uma pessoa se identifica com uma situação que já tenha vivenciado ou que sabe que poderá enfrentar algum dia.

Para potencializar o uso das situações é importante prever o uso de interações e tomadas de decisão que transformem o aluno em protagonista da sua análise ou resolução. Esse “desafio” oferece ao aluno a possibilidade de “vasculhar o seu cérebro” e processar seus conhecimentos exercitando-os por meio de ações contextualizadas. O feedback ou o desfecho atrelado a cada decisão é um elemento fundamental para reforçar a aprendizagem neste modelo.

A adoção de elementos lúdicos pode gerar maior engajamento desde que não tornem o conteúdo ou a experiência do aluno infantis e/ou excessivamente informais. Elementos tradicionais do gamification como pontuação, acúmulo de experiências e desafios contra o tempo podem ser enquadrados normalmente dentro de um contexto suficientemente formal para os temas relacionados à Compliance.

Devemos adicionar a esta fórmula algumas variáveis complementares que podem ser determinantes para o desenho de uma boa estratégia voltada para os treinamentos de Compliance. A maturidade do público-alvo em relação a essa modalidade de aprendizagem, eventuais limitações tecnológicas e o conhecimento prévio sobre mudanças frequentes em políticas são algumas delas.

Equipe Clarity Solutions

Conheça as soluções para e-Learning da Clarity Solutions.

Acesse: www.claritysolutions.com.br