As vantagens de uma plataforma LMS gamificada

Quem trabalha com educação corporativa já teve contato ou pelo menos ouviu falar sobre a plataforma LMS (Learning Management System), também conhecida como AVA (Ambiente Virtual de Aprendizagem).

Sabemos que esse sistema serve basicamente para disponibilizar objetos educacionais digitais e realizar a gestão do processo de aprendizagem, tanto sob a perspectiva administrativa quanto educacional. O LMS presta-se, originalmente, a atender o meio online, alguns, no entanto, também aceitam inputs de dados de treinamentos presenciais, possibilitando ali a gestão dessas ações, muitas vezes levando ao blended learning (aprendizagem que combina as diferentes modalidades).

Entretanto, não é sobre essa possibilidade de recurso, que iremos falar neste artigo. Em verdade usamo-la apenas para ilustrar o fato de que apesar de existir uma oferta muito grande de plataformas LMS no mercado, elas não são todas idênticas.

A realidade é que algumas possuem características e recursos individuais, que as diferem de outras. Assim, o candidato à aquisição de um LMS pode escolher a que melhor lhe aprouver, a que mais eficaz e eficientemente atender às necessidades de seu projeto educacional ou de treinamento.

Vamos nos ater a um recurso, que apesar de não estar presente em boa parte das plataformas LMS, tem sido bastante solicitada: a possibilidade de gestão gamificada dos processos de aprendizagem.

Vale a pena definirmos conceitualmente o que significa gamificar: consiste em aplicar elementos de jogos a um processo, de modo a criar uma experiência lúdica que não necessariamente representa um jogo, mas que cria a sensação constante de desafio e competição.

Mas como isso funciona no LMS?

Calma, vamos exemplificar…

Imagine um grupo de funcionários participando de uma determinada trilha de aprendizagem, ao término da qual deverão estar qualificados para uma atividade ou função dentro da organização. Esta trilha é composta por diversos elementos, tais como:  cursos on-line, e-books para leitura, quizzes, alguma atividade presencial, vídeos, avaliações de conhecimento, etc.

É notório, que tal conjunto de atividades pode se mostrar cansativa, enfadonha e até desestimulante para algumas pessoas, o que pode dificultar a dedicação esperada dos aprendizes nas atividades propostas.

Então, imagine se a nossa plataforma LMS apresentar recursos, que permitam estruturar e gerenciar esta trilha de aprendizagem na forma de um grande jogo ou uma jornada lúdica, que de tal modo apresentada aos aprendizes, poderá colaborar com os índices de interesse, participação e engajamento. Interessante, não?

Pincipalmente quando se sabe que um dos principais desafios para quem deseja implementar uma plataforma LMS e programas de aprendizagem on-line é justamente elevar os níveis de participação e conclusão por parte dos alunos.

Pois é, alguns LMS existentes no mercado já possuem, em seu conjunto de funcionalidades, uma estrutura que permite atribuir pontos, troféus, medalhas e/ou outros elementos de gamificação de acordo com a evolução e nível de participação dos alunos nas diferentes atividades dentro da plataforma.

Imagine que um aluno ganhe uma certa quantidade de pontos ao concluir um curso. Se ao concluir esse curso, ele tiver aproveitamento máximo na avaliação final, esses pontos dobram e ele recebe uma medalha por ter alcançado esse feito.

Esse sistema de pontos pode, de fato, ser associado a outros fatores como o cumprimento de prazos, a colaboração por meio do compartilhamento do conhecimento em comunidades e fóruns do LMS, ou a frequência de acesso ao sistema.

Com o sistema de pontos, gerenciado pelo próprio LMS, torna-se possível habilitar rankings diversos na plataforma, com a segmentação por departamentos, unidades, cargos ou equipes, e assim estabelecer competições que possam promover algum tipo de reconhecimento interno ou até mesmo premiações, sempre visando maior engajamento e maiores níveis de aprendizagem.

Algumas plataformas, mais intensamente “gamificadas”, vão além e chegam a criar jornadas (como num RPG – Role Playing Game) com os elementos componentes de uma trilha de aprendizagem e até permitem a criação de avatares pelos participantes.

Então game e LMS gamificado são a mesma coisa?

Calma. Vamos raciocinar da seguinte forma:

  • LMS gamificado é uma plataforma educacional, que permite uma estruturação de acompanhamento e gestão do processo de aprendizado, utilizando recursos oriundos dos jogos (elementos lúdicos);
  • O game é um objeto propriamente dito construído como elemento “de competição”, que tem regras e operações próprias. Um game pode ser, entre outras coisas um objeto educacional, assim como um vídeo interativo ou um quiz gamificado.

Assim, o game pode, sim, ser disponibilizado dentro de uma plataforma LMS, seja essa gamificada ou não. Mas também, pode ser levado ao usuário (ou “jogador”) por um canal externo à plataforma LMS, em forma de aplicativo ou inserido em um site, por exemplo.

Algumas conclusões…

As vantagens de se utilizar um LMS com tais recursos (gamificados) confundem-se com as vantagens da construção de games como objetos educacionais: aumentar engajamento, estimular participação, auxiliar na memorização de conteúdos;

Muito interessante, ainda, é a vantagem de que, usando uma plataforma gamificada, podemos inserir objetos educacionais diversos no processo educacional, que acabarão por valer-se indiretamente dos benefícios da gamificação, pois farão parte dela.

Assim, se precisarmos de vários objetos educacionais, para um determinado projeto e quisermos nos valer dos benefícios dos jogos na educação, não precisaremos desenvolver todos esses objetos como games, o que poderia, em determinados casos, encarecer o projeto. Objetos mais simples também podem participar de um processo gamificado.

Quer conhecer mais sobre esse assunto? Obter mais informações sobre como uma plataforma LMS gamificada funciona? Faça contato com a nossa equipe! Estamos à disposição!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *