Você pensa no mobile ao produzir seu curso on-line?

Um curso ou treinamento on-line será tanto mais efetivo quanto maior for a sua acessibilidade. Isso quer dizer que quanto mais favorecido for o acesso do aprendiz ao curso ou ao treinamento, maior a probabilidade de se obter bons resultados de aprendizagem.

É claro que esse não é o único fator importante na aplicação de cursos on-line, mas está entre os mais, certamente.

Iniciamos esta conversa assim, para destacar a importância da adaptabilidade de plataformas de disponibilização e gestão de objetos educacionais (LMS), bem como dos próprios objetos/conteúdos (cursos e-Learning, videoaulas, learning games, etc.).

Imagine que você se dedicou para desenvolver o melhor curso para os colaboradores da sua organização; contratou um LMS atrativo, contou com o apoio de uma consultoria, preparou o melhor conteúdo e trabalhou nos roteiros educacionais com bastante carinho.

No final do desenvolvimento, na hora de testar o trabalho, você publica o curso no LMS e confirma que ele está rodando maravilhosamente bem no seu computador. Daí você chama um par seu, para mostrar a beleza de trabalho que fez. Ele assiste, dá sinais de que gostou, então vira-se pra você e pergunta:

“- O curso também roda bem em smartphones e tablets? Pensando nas nossas equipes externas que trabalham com dispositivos móveis…”

Oops!

De fato, a experiência de aprender usando um computador é bem diferente da de aprender usando um tablet ou um smartphone. Pode acontecer do seu curso rodar sim nos dispositivos móveis, mesmo que ninguém tenha se preocupado com isso até então, mas saiba que isso terá sido pura sorte!

Aqui já podemos começar a falar de um conceito muito importante, chamado de RESPONSIVIDADE.

A responsividade nada mais é do que a capacidade que um determinado software ou conteúdo digital tem de adaptar-se a vários tipos e tamanhos de telas de hardware.

Para o caso de cursos on-line, onde se pretenda que tanto o LMS/plataforma quanto os objetos educacionais (cursos) sejam acessados com legibilidade e sem comprometimento da operacionalidade, é fundamental que garantamos que ambos (LMS e conteúdo) sejam responsivos.

Isso significa que eles deverão ajustar seus leiautes tanto em telas de PC, quanto em smartphones ou tablets.

Mas atenção, dependendo do tipo de conteúdo (principalmente aqueles que contenham textos) não basta redimensionar o tamanho do conteúdo em função da tela (o que geralmente acontece com vídeos), é preciso que ocorra um “rearranjo automático” da informação, para que a experiência de quem aprende não seja comprometida.

Dizemos, então, que não basta que o software ou conteúdo sejam adaptativos, mas que sejam também responsivos.

Então, é só pensar nessa responsividade e está tudo certo?

Calma. Pensar na responsividade é fundamental, mas não nos esqueçamos que os cursos também devem ser desenvolvidos em uma “linguagem de programação” compatível com computadores pessoais e também com os dispositivos móveis (atualmente com sistemas Android e iOS). Por exemplo o HTML5.

Ainda hoje temos casos de videoaulas, que rodam perfeitamente bem no PC/notebook, mas que quando acessados em um smartphone ou tablet simplesmente não abrem, não rodam. Tudo por causa de linguagem de desenvolvimento (normalmente mais antiga e incompatível com os navegadores mais modernos) ou até mesmo pelo tamanho exagerado do vídeo, que não roda com fluidez em redes móveis em função de velocidades menores.

Esse é um ponto de atenção para todos que conduzem projetos de educação corporativa. Quando não estiverem afeitos a esse tema, é recomendado conversar com a consultoria especializada que certamente saberá direcionar questões como essas.

Ah, e na hora de escolher o seu LMS, não se esqueça de perguntar ao fornecedor como tudo isso funciona pensando em uma utilização mobile.

PENSANDO NO NOVO TRABALHADOR REMOTO

Além de muitos funcionários, que normalmente trabalham na maior parte do tempo externamente nas empresas (técnicos de manutenção, instaladores de equipamentos, vendedores), precisamos considerar o novo trabalhador, aquele que trabalha a distância, mesmo tendo funções administrativas ou técnicas na área de programação ou helpdesk, por exemplo.

Daí alguém pode dizer: “Ah, mas os administrativos trabalham em casa com desktop ou notebook…”

Então, vou te contar mais uma coisa: as vendas de tablets estão bem próximas das de notebooks. Com tecnologia atual, esses equipamentos melhoraram muito a capacidade de processamento e até teclados apropriados para smartphones e tablets inundam o mercado de hardwares. E é claro, que eles ganham em mobilidade e versatilidade de uso, além de que costumam ser mais baratos do que seus “primos” notebooks.

É claro que a substituição de equipamentos não é aplicável em todos os casos, mas existe um número muito significativo de dispositivos mobile e profissionais que já trabalham com eles, para que se pense em responsividade e compatibilidade de linguagem de programação, na hora de adquirir um LMS ou desenvolver um objeto educacional on-line.

Quer conversar mais detalhadamente sobre esse assunto, para ter a certeza de desenvolver seus cursos do jeito certo? Pode nos chamar. Vamos explicar todos os detalhes, para que seu projeto educacional corporativo on-line funcione perfeitamente para todos os públicos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *